segunda-feira, 30 de abril de 2007

"Você é aquilo que você faz e não aquilo que você diz"

Será?
Mentimos tanto nas palavras quanto nos atos. Um falso abraço amigo pode muito bem ser dado quanto um falso "eu te amo" pode muito bem ser pronunciado. E isso não exige dificuldade e nem é preciso uma sabedoria extrema. Muitas vezes, sem com que você perceba, você dá aquele sorriso falso para o porteiro.
As pessoas, acredito eu, são formadas por pensamentos. É impossível mentir para si mesmo, é impossível negar seus desejos e anseios à você próprio. Contudo, nossos pensamentos, idéias e ideais estão em constantes evoluções, ou em simplesmente, constantes mudanças.
Nenhum ser pode ser definido. Cada um está propício à um novo acontecimento. O mundo não pára, e conseqüentemente, nós também não.
É preciso ter compaixão, aceitar as diferenças e mudanças do próximo, enxergar as tuas e levar a vida adiante.

,

quarta-feira, 11 de abril de 2007

Caos aéreo

Semana passada, assistindo ao Jornal Nacional, vi o presidente da República - Lula, comentando sobre o caos aéreo. Dizia que achava injusto da parte dos controladores de vôo fazer com que a população se tornasse vítima de suas revoltas. Revolta, foi o que senti ao ouvir essas medíocres palavras.
Quais são os motivos de revolta dos controladores? Os aparelhos em péssimo estado de condição, os baixos salários para tantas horas de trabalho, mal tratamento e muitos outros fatores. Quem é responsável por tudo isso? O governo. Quem é o superior no governo brasileiro? Esse aí, que comentou no Jornal Nacional que é uma injustiça da parte dos controladores fazer isso com a população. E da parte do governo, é o que? É mais do que injustiça, é falta de respeito.Isso tudo, é uma prova do quão indiferente o povo brasileiro é para o presidente, para os ministros...
E essa violência? E esses crimes bárbaros? Logicamente que os criminosos são responsáveis. Mas o que levou o Brasil à tanto descontrole? A falta de respeito, de consideração do governo com o povo brasileiro.
Desisto de expor reclamações, revolta; apenas lamento.