quarta-feira, 14 de março de 2012

Reflexão

    Comecei a fazer psicoterapia e estou adorando. O auto-conhecimento é muito bom; conseguir entender nossos sentimentos, procurar caminhos que nos tragam o bem estar e por que não, a felicidade. E o mais engraçado disso tudo é que quem te ajuda é uma pessoa que até então nem te conhecia. Mas é impressionante como a conversa flui. Fica aqui minha admiração para os (bons) profissionais de psicologia!
    Enfim, o que mais tem me agradado nesse tratamento é o fato de conseguir enxergar as coisas boas que a vida nos traz, mesmo que nada do que estejamos vivenciando tenha sido planejado.
    Sempre tive muitos sonhos e planos. Queria ser jornalista, ter feito intercâmbio, planejava seguir a seguinte ordem pra vida pessoal: namoro, noivado, casamento e filhos.
    Desisti do jornalismo por conta da dificuldade de reconhecimento da profissão, principalmente aqui no MT. O intercâmbio eu aguardava quando tivesse dinheiro suficiente ou pelo menos trabalhasse; justamente nesse momento, engravidei. Meu namorado veio de mala e cuia pra casa. Ou seja, minha história se construiu totalmente ao avesso dos meus planos. E quer saber? Ainda bem!
    Encontrei-me no meu curso e é muito bom poder desenvolver o senso de justiça, que sempre falou alto em mim. Sou completamente apaixonada pela minha filha e pelo meu namorado e é maravilhoso tê-los pertinhos de mim; Deus sabe o momento exato de fazer as coisas.
    O que eu descobri nas sessões com a psicóloga é que nestes últimos anos eu me abri para o mundo, para as pessoas. Sempre fui muito fechada, tinha o costume de deixar os sentimentos bem guardadinhos, de passar a imagem de forte. A partir do momento que eu deixei o roteiro da minha vida sair um pouco das minhas mãos, conheci sentimentos e laços incríveis.
    Hoje posso fazer tudo diferente do planejado, mas AMO tudo o que eu faço. E, diferente do conceito Charlie Brown Jr., não é o amor que constrói pontes indestrutíveis, o amor é que é a ponte indestrutível, o amor que me leva para os melhores caminhos.
Pra não perder a corujice de mãe, foto da minha pequena, o meu maior amor!

Um comentário:

Maria Florzinha disse...

Total identificação com tudo que voce disse, tinha milhoes de planos e todos foram alterados do dia pra noite. E por mais que eu pensasse que não, tudo se encaixou perfeitamente. Nada como ter essas pessoinhas lindas na nossa vida, pra tudo ter sentido.